sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Empate ridículo!



O Loco nunca poderia bater um penal!
Estava com uma contusão!
Sinceramente amigos, não estou em condições de descrever o que vi.
Tentarei, em outro momento.
Perder para time de série "C" é dose....................
Um dia papai "riquinho " irá embora, e a realidade voltará a tona.
Com o elenco que "ELAS" possuem, ganharíamos tudo.
O que não deixa é a camisa, ou seja, "Nada pode ser menor"!
SAN!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Desculpem-me a ausência, mas é Carnaval no Rio.....

Só não consigo esquecer o BFR apesar de tudo.

Leiam o texto:
Sinceramente,

Ele está levantando o que nós não vemos, nós queremos mais, muito mais, e estamos certos, mas na visão técnica e simplista de quem analisa, ele está certo, a tendência é que nós em pouco tempo estaremos a frente dos outros.
Senão vejamos, O Frutinha vive de mecenas, o Vascúzinho de uma administração que deu certo em um aninho, basta perder o Carioca e sair da Libertadores, baba. Os Mulambos, quem conhece futebol, sabe que estará fora logo, logo.
E isso acontecendo o que vai sobrar?
O BFR na CB e na SA.
E eles esperando......
Sei que sou contra os "ses", mas se estes "ses" acontecerem(Não sou Mãe Dináh, mas), já pararam para pensar?
Espero ganhar das Frutas, e garantir presença nas finais esculachando o lixo ou o vascúzinho, mas aí entrarão novos "ses"
Concordo com o Lédio, nem tudo é resultado, apesar de ser o que mais queremos.............
SAN!!!!!!!!!


domingo, 12 de fevereiro de 2012

Galera me desculpem a ausência, mas a vitória era esperada..

E o Vídeo é sensacional......Vamos curtir juntos......
video

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Logo mais tentarei escrever sobre esta vitória obrigatória.

Me desculpem, hoje não dá!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Não vou deixar esfriar, mas hoje tem jogo, então vamos lá Fogão!

As Escalações:


Botafogo: Convicto que seu esquema vai decolar, o técnico Oswaldo de Oliveira não mexe uma peça de lugar desde a pré-temporada. O intuito é dar entrosamento e padrão para, aí sim, considerar mexer na formação original, que é Jefferson, Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Marcelo Mattos, Renato, Andrezinho, Elkeson e Maicosuel; Loco Abreu
Olaria: No lugar de Acácio, demitido, Amilton Oliveira também não muda a estrutura do time que bateu o Madureira na última rodada. O time é Wanderson; Ivan, Thiago, Diego Macedo e Amarildo; David, Moisés, Para e Pedrinho; Claudir e Vanilson.

Sobre o Jogo:
Renato, volante do Botafogo: "A classificação está embolada, mas dependemos de nós mesmos. Vencendo nossos jogos, estaremos nas semifinais. Se o Olaria conseguir um bom resultado aqui, passa a gente e aí complica mais. No Carioca, nessa oportunidade de jogar contra os grandes, esses times dão tudo"
Amilton Oliveira, técnico do Olaria: "É um jogo chave. Uma vitória coloca nosso time definitivamente na luta por uma vaga nas semifinais. Além disso, nos dois últimos jogos decidimos em casa, diante de nossa torcida. Mas não adianta projetar nada neste momento. Temos que pensar no Botafogo. As duas últimas atuações do Olaria (contra Flamengo e Madureira) mostram que podemos pensar em vitória nesta quarta"
Números e Curiosidades:
* A média de gols das partidas entre Botafogo e Olaria pelo Campeonato Carioca é superior a três gols por jogo. Dos 112 jogos, apenas oito terminaram sem gols. O último 0 x 0 aconteceu há 18 anos (ou 18 jogos), em 1994, na Rua Bariri.
* Em 2011, o Olaria conseguiu, pela primeira vez, alcançar as semifinais de um dos turnos do Campeonato Carioca, que, desde 2004, tem essa fórmula de disputa. No confronto com o Vasco, na disputa por uma vaga na final da Taça Rio do ano passado, perdeu por 1 a 0.
* No Campeonato Carioca, a última vitória do Olaria no confronto com o Botafogo aconteceu em 2002, quando venceu por 3 a 1.
Vamos que vamos....
Acredito que: "Hoje será melhor do que ontem, e infinitamente pior que amanhã!"
SAN!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!





Esse texto abaixo, demonstra o "planejamento".

Botafogo perto de desistir de Tanaka

Depois de a contratação de Rojas, que era dada como certa por ambas as partes e acabou não se concretizando por supostos problemas cardíacos detectados apenas em exames realizados pelo Botafogo, o clube também está muito perto de não fechar com o nipo-brasileiro Túlio Tanaka, que atua pelo Nagoya Grampus do Japão.

O motivo da vez é o sentimento mútuo que existe entre jogador e clube. Parecendo indeciso, o zagueiro parece ter medo de sua saída causar um mal estar diante do Nagoya e sua torcida. Já o pai do jogador, que mantém contato frequente com o diretor de futebol Anderson Barros, insiste para que Tanaka seja mais incisivo em sua vontade de jogar o primeiro Campeonato Brasileiro da carreira.

O maior problema em meio a todas essas confusões é a nítida falta de planejamento do clube. Em busca de um lateral-esquerdo, o clube encontrou em Rojas não só o reforço ideal, mas também um ponto de equilíbrio com o lateral-direito Lucas, já que o chileno é um jogador mais defensivo, enquanto Lucas tem facilidade de chegar à frente. Só que a negociação não se concretizou e o clube se perdeu.




Ao invés de procurar outro jogador a partir das características de Rojas, o Botafogo simplesmente direcionou o investimento em um zagueiro, posição também necessitada, porém menos carente que nossas laterais. O clube perdeu o foco e, agora, corre o risco de não reforçar nenhuma das duas posições. Enquanto Antônio Carlos segura as pontas da defesa junto ao fraco Fábio Ferreira e a incógnita Brinner, Márcio Azevedo está soberano na lateral.

São coisas assim que desanimam a torcida, já abatida pelo nítido despreparo da diretoria no que diz respeito à montagem de elenco. Os mesmos problemas e erros são repetidos desde 2009, mesmo sendo reconhecidos pela própria cúpula alvinegra. Não adianta constatar que faltaram peças de reposição em um ano e não contratá-las na outra temporada. Eis o Maurício Assumpção: fala muito e faz pouco.

Resta à torcida rezar para que Márcio Azevedo tenha uma saúde de ferro e mantenha o nível de sua última atuação, por mais que isso seja improvável, além de torcer para que a zaga encaixe novamente como em 2010, onde Antônio Carlos era regular como sempre e Fábio Ferreira, na sua “aba”, não comprometia. Isso sem falar nas outras posições, quase todas sem reposição..



Bom, enquanto a explicação do tópico anterior não chega, vamos continuar analisando o que está sendo feito neste início de temporada, para que lá no final do ano tenhamos as respostas para os "por quês" que sempre surgem.


Espero de todo coração, que se corrijam os erros a tempo, e que nosso ano não seja jogado no lixo outra vez.


SAN!!!!!