domingo, 21 de junho de 2009

Parabéns ao Botafogo pela conquista de 1989. 20 anos já se foram.


Histórico do Campeonato:

Campeonato Carioca - 1989 (Invicto)

Adversário - Resultado - Local:
América - 1 x 0 e 1 x 0 (ambos no Maracanã).
Americano - 2 x 0 (São Januário) e 1 x 0 (Godofredo Cruz).
Bangu - 2 x 0 (Proletário) e 0 x 0 (Maracanã).
Cabofriense - 2 x 0 (Barcelão) e 2 x 0 (São Januário).
Flamengo - 1 x 1, 3 x 3, 0 x 0 e 1 x 0 (todos no Maracanã).
Fluminense - 0 x 0 e 2 x 2 (ambos no Maracanã).
Nova Cidade - 3 x 0 (Caio Martins) e 2 x 0 (Niélsen Louzada).
Olaria - 3 x 1 (Bariri) e 1 x 0 (Caio Martins).
Porto Alegre - 4 x 0 (Jair Bittencourt) e 2 x 1 (Caio Martins).
Vasco - 0 x 0 e 1 x 1 (ambos no Maracanã).
Volta Redonda - 1 x 1 (São Januário) e 2 x 1 (Raulino de Oliveira).

Total de Jogos: 24; Vitórias: 15; Empates: 9; Gols Pró: 37; Contra: 11.

Jogaram:
Mauro Geraldo Galvão, 24 jogos.
Paulo Roberto Rocha (Paulinho Criciúma), 24.
Ricardo da Cruz Cerqueira, 22.
Carlos Alberto Souza dos Santos, 22.
Maurício de Oliveira Anastácio, 21.
Luís Carlos Quintanilha (Luisinho), 21.
Luís Gustavo de Carvalho Soares, 21.
Vágner Aparecido Nunes (Mazolinha), 21.
Josimar Higino Pereira, 20.
Wilson Roberto Gottardo, 19.
Marcos Vinícios Ribeiro dos Santos (Marquinhos), 17.
Jéferson Schirmer Vasconcelos (Jéferson Gaúcho), 17.
Vítor Luís Pereira da Silva, 13.
Mílton da Cruz, 9.
Renato Martins, 7.
Jocimar Duarte de Oliveira, 6.
Wanderley Gomes Bernardino, 4.
Gabriel da Conceição Vieira, 3.
Mário José dos Reis Emiliano (Marinho), 3.
Pedro Samyr Varela Umpierrez, 3.
Edílson Barbosa, 2.
Paulo dos Santos Fernandes Filho (Mongol), 1.
Carlos Magno de Oliveira, 1.
Luís Cláudio da Silva, 1.
Total - 24 jogadores.
Técnico - Valdyr Espinosa.
Artilheiros: Paulinho Criciúma, 10 gols; Maurício, 9; Carlos Alberto Santos, 4; Jéferson Gaúcho, 3; Vítor, 2; Luisinho, 2; Josimar, 1; Wilson Gottardo, 1; Mauro Galvão, 1; Mazolinha, 1; Mílton Cruz, 1; Zé Paulo (contra), 1; Gonçalves (contra), 1. Total - 37 gols.






Botafogo 1 x 0 Flamengo

Botafogo: Ricardo Cruz; Josimar, Wilson Gottardo, Mauro Galvão e Marquinhos; Carlos Alberto Santos, Luisinho e Vítor; Maurício, Paulinho Criciúma e Gustavo (Mazolinha).

Flamengo: Zé Carlos; Jorginho, Aldair, Zé Carlos II e Leonardo; Aílton, Renato e Zico (Marquinhos); Alcindo (Sérgio Araújo), Bebeto e Zinho.

Local: Maracanã

Data: 21/06/89

Árbitro: Válter Senra

Público: 56.412 pagantes

Gol: Maurício aos 12 minutos do segundo tempo.

A temperatura naquela noite era de 21 graus


O andar da Carruagem:

Muitos falam de 21 anos sem título, será? Vamos fazer uma simples conta, em 1968 fomos campeões de 1969(1º ano sem título) até 1988(último ano sem título), são 19 anos, certo?

Este mito acima, se deve muito a esta "estória contada abaixo":

"Após 21 anos sem título, em 21 de junho, com temperatura de 21 graus, aos 12 minutos do segundo tempo ( 12 é 21 ao contrário), o reserva Mazolinha, camisa 14, cruza para Maurício camisa 7 ( 14 + 7 = 21 ), fazer o gol do título. Botafogo campeão invicto de 1989."

Está valendo? Ou não?

Nas próximas postagens irei publicar todos os títulos da história do BFR(créditos para a Wikipédia) do Futebol e de outros esportes.


História do Título:

O Campeonato Carioca de Futebol de 1989 foi vencido pelo Botafogo em uma decisão em melhor de quatro pontos (naquela época a vitória valia 2 pontos e o Botafogo foi campeão com 1 vitória, 1 empate e 1 ponto extra pela melhor campanha nos 2 turnos do campeonato). O Botafogo contou com heróis como Maurício de Oliveira Anastácio, ponta-direita e herdeiro da Gloriosa Camisa 7 de Garrinha, a zaga sólida com Mauro Galvão e Wilson Gotardo, o famoso lateral Josimar, o folclórico camisa 10 Paulinho Criciúma e, na arquibancada, a torcedora que virou símbolo do clube, Sonja (A Gandula que chorava e vibrava com o time da Estrela Solitária).

O Botafogo terminou o campeonato de forma invicta e garantiu o direito de participar da final por ter sido vencedor da Taça Rio e por ter somado o maior número de pontos do campeonato. Como adversário enfrentou o Flamengo, campeão da Taça Guanabara, que tinha Telê Santana como técnico e estrelas do porte de Bebeto, Aldair, Leonardo, Jorginho, Zinho e Zico (aliás, este foi o último campeonato carioca do Zico).O primeiro jogo da final terminou empatado em 0x0 ( Eu estava lá) e no segundo jogo, no dia 21 de Junho de 1989, aos 12 minutos do segundo tempo, o jogador Maurício (camisa 7) marcou o gol da vitória e do campeonato.

Porém, o jogo mais emocionante ocorreu no 2º turno, no dia 07 de maio, contra o próprio Flamengo ( eu também estava neste jogo ao lado do Afonso Dessupoio, Pequiri e o saudoso Tatu). No início do segundo tempo o time do técnico Telê Santana já estava ganhando por 3x1, o que levou ao narrador da TV Educativa do Rio de Janeiro, que televisionava o jogo, Januário de Oliveira, a afirmar: "cai o último invicto do campeonato carioca". Porém, graças a um gol contra do flamenguista Gonçalves (que depois viria a defender e ser campeão carioca com o Botafogo em 1990 e 1997 e brasileiro em 1995) e a uma reação espetacular, o Botafogo empatou o jogo no finalzinho (Vítor ex-flamengo aos 44min), manteve a invencibilidade e abriu caminho para o campeonato depois de 21 anos de jejum (o Botafogo também teria a ajuda do Vasco de Paulo Roberto, que derrotou o Flamengo na última rodada e garantiu o título da Taça Rio para o Botafogo).

Obs: Este texto acima foi retirado de algum site(ou alguns sites) durante este longo tempo de pesquisa, e me desculpo por não poder citar os créditos, pois na época não tinha o costume de copiá-los.


Meu 21/06/1989:

Lembro-me de meu dia no trabalho ter sido totalmente improdutivo, tamanha a ansiedade pelo início da decisão, sorte minha ter um chefe também torcedor do Glorioso. Saí do trabalho por volta de 17Hs, passei em casa, vesti a gloriosa e parti para o maior do mundo, prometendo ao meu pai, que sempre me acompanhava e desta vez preferiu ficar em casa acompanhando na "latinha", que traria o título. Por volta de 19Hs já estava no interior do estádio Mário Filho. Bom, do jogo pouco me lembro, a não ser a tensão total e a angústia pelo gol que nos daria o título tão esperado, e ele veio aos 12 do 2º tempo, explosão, alegria total, lágrimas de todos os lados, mas o jogo ainda não terminara e a tensão voltou. Não sei de onde, senti uma certeza incrível de que não nos tirariam aquele título, e então por volta dos 20 comecei, sozinho, a puxar o grito tão esperado de "É Campeão", fui acompanhado por alguns poucos, no entanto, muitos mas muitos mesmo me criticaram e solicitaram para aguardar o final do jogo(eita torcida que não se permite sonhar, hoje sei o que é isto, mas na época ainda me permitia). Jogo rolando e finalmente por volta dos 40, o grito tão aguardado veio surgindo, primeiro timidamente, e aos poucos foi tomando todos que estavam engasgados por 19 anos. Saí junto com a extinta Mancha Alvinegra e decidimos ir a pé até Gal. Severiano, quando passávamos pela Rua do Riachuelo dei um pulo em casa para dar um abraço em meu velho pai, que se encontrava ajoelhado em frente ao rádio desde o fim do jogo, agradecendo sabe lá Deus a quem, dei-lhe o abraço prometido. Promessa cumprida desci para tentar alcançar a turma que se dirigia a nossa gloriosa sede, peguei um ônibus e consegui alcançá-los ali pelo catete, cheguei a sede, e com muita sede, derrubei vários chopp's, por volta de 2 da madrugada, a sede já quase vazia, juntamente com alguns amigos, achamos que estávamos indo para casa, achamos porque ao chegar na Mem de Sá, visualizamos outro grupo de amigos em uma choperia comemorando(ainda), nos juntamos aos bons e a festa só foi terminar por volta de 6:30 da manhã, finalmente este guerreiro chega em casa e consegue deitar para descansar, com o coração(deveria dizer estrela?)e a alma lavada por poder finalmente comemorar de verdade um título. Finalmente o meu amado Botafogo era campeão(os dois primeiros em minha vida foram 67/68 eu com respectivos 2/3 anos), e logo em cima de quem? Amém.

Parabéns e obrigado ao meu amado Botafogo de Futebol e Regatas.

SAN!!!!!!!

1 comentários:

Rui Moura disse...

Excelente artigo!

Postei o seu link no meu blogue, Álan. Já pode postar o meu.

Abraços Gloriosos!